Conheçam a história que marcam os 110 de fundação do município de Sairé

Igreja Matriz de São Miguel
Depois de um longo período, desde os primeiro moradores que chegaram nestas terras, diversas famílias fincaram raízes, fundaram um povoado e se dedicaram ao seu desenvolvimento. Segundo relatos, um dos proprietários de terras na região, o Sr. Miguel Bezerra, da fazenda Boa Vista, prontificou-se a doar uma parte de terra com a finalidade de construir uma capela.

Moradores, comerciantes e autoridades, Como o Coronel José Pessoa, conhecido por Cazuzinha, se mobilizaram para a construção da capela. Há registros em que foi lançada a Pedra Fundamental para edificação da capela sobre a evocação de São Miguel Arcanjo. Pelos relatos, o coronel Cazuzinha passou a ser considerado o fundador do povoado.

A igreja foi o motivo para que famílias decidissem morar nas proximidades. Quem desejasse construir residência no povoado pagava uma licença, e assim o povoado de Boca da Mata, como foi inicialmente chamado, foi se erguendo.

De início o arruado de Boca da Mata estava nos domínios territoriais do município de Bezerros. Logo após a tradição católica batizou o povoado de São Miguel da Mata. No final do século XXI foi alcançado ao título de Distrito de São Miguel.  Na década de 40 através de decreto, emergiu-se a condição de Vila, com a denominação Sairé. 

SÍMBOLOS OFICIAIS DO MUNICÍPIO


Brasão Municipal



Bandeira Municipal




Hino Municipal

Letra: José Soares dos Santos
Música: José Valdinez Chagas de Vasconcelos

Nos caminhos abertos por desbravadores
Na boca da mata um povoado se ergueu
Sob o agreste azul ouviram-se louvores
Ao arcanjo Miguel com a benção de Deus.

Povo bravo e muito forte
Vivendo da fé, da esperança e do labor
Enfrentando os perigos e a morte
Construindo a história com amor.

Sairé, Sairé, Sairé
Serás sempre o caminho mais belo
Quanto mais te vejo mais te amo
Quanto mais te amo mais te quero.

As margens do Rio Sirinhaém
Nascia uma cidade encantadora
Foi São Miguel e depois Sairé
Sempre tranquila e acolhedora.

Terra de tradição junina e buscapé
Das feiras, engenhos, cafezais e laranjais
Terra querida e amada tu és
Orgulho de quem não te esquece, não te esquece, jamais.

Sairé, Sairé, Sairé
Serás sempre o caminho mais belo
Quanto mais te vejo mais te amo
Quanto mais te amo mais te quero.

Postagens Relacionadas
‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››