Curiosidade: Artesão de Sairé explica o passo a passo para o processo de produção do buscapé

Localizada a 109km do Recife, Sairé é um dos destinos mais procurados durante a temporada de festejos juninos de Pernambuco. Além do forró, que é o ritmo mais executado nas ruas e praças da cidade, a emoção de soltar buscapé é um dos principais motivos que atrai os visitantes durante o período.

No céu, um espetáculo de encher os olhos. Na terra, a aventura de espalhar fogo pelas ruas. No pilão, nitrato de potássio, enxofre e carvão: a fórmula da pólvora, que é usada como receita indispensável para a confecção do artefato. E é por isso que Sairé é conhecida nacionalmente como a "Terra do Buscapé".


No mês de junho, os artesãos saem às matas à procura do melhor bambu para fabricar os buscapés. Só são retirados os que estão maduros, já que são os ideais para a confecção. "A linha de montagem é artesanal. No oco do bambu, conhecido como taboca na região, vai o recheio explosivo", explica o artesão Pedro Barbosa.

O artesão detalha o passo a passo para a produção do artefato: "o primeiro passo é serrar e lixar as peças, que recebe o nome de taboca. Para que fique mais resistente é enrolado um cordão na taboca. Com as tabocas prontas, é hora de preparar a pólvora. Dentro da taboca, é colocado barro e depois pólvora, todos bem socados. A parte final é furar a taboca na medida certa".


E para que a alegria e a descontração sejam os melhores ingredientes da festa, é preciso alguns cuidados, principalmente para o folião desavisado, que não conhece a tradição regional. Um deles é utilizar itens que proporcionem segurança, como luvas e jaquetas. De resto, o espetáculo é um show de cores e acrobacias, executado pelos mais experientes e habilidosos.

Postagens Relacionadas
‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››