Edital abre vagas para prestação de assistência técnica a produtor rural

produtorrural

Com inscrições abertas entre 28 de março e 11 de abril, a implantação dos Agentes de Desenvolvimento Rurais prevê melhoria de gestão e produtividade por meio de boas práticas, em especial nos períodos de estiagem

Na realidade do Semiárido, a Caatinga é um bioma exclusivamente brasileiro e que ocupa mais da metade do território baiano, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com objetivo de fortalecer a base produtiva e gerencial da criação de caprinos e ovinos do Território de Identidade Sertão do São Francisco, o Projeto Bioma Caatinga – Ciclo II abre edital para contratação de Agentes de Desenvolvimento Rural Sustentável com capacidade técnica e experiência.

Nesse segundo ciclo, os Agentes devem atender diretamente a 1.054 produtores da agricultura familiar do segmento de caprinovinocultura e a 186 micro e pequenas empresas de outros elos integradores da cadeia produtiva. A atuação acontece durante o período de um ano, e presta assistência técnica, gerencial e ambiental aos produtores dos municípios de Juazeiro, Curaçá, Uauá, Casa Nova e Remanso que, juntos, concentram 80% de todo rebanho de ovinos e caprinos do Território Sertão do São Francisco.

Os interessados têm de 28 de março a 11 de abril para efetuar as inscrições no site www.ba.sebrae.com.br. O envio documentação exigida em edital deve ser feita via postal para o endereço Rua Horácio César, 64, Largo dos Aflitos, Salvador, Bahia, CEP 40.060.350, endereçado a Processo de Credenciamento Sebrae/BA. Informações sobre a seleção podem ser obtidas através do e-mail: bioma.caatinga@ba.sebrae.com.br. Os candidatos precisam possuir um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) para validar a inscrição e atender critérios específicos de cada função, conforme edital.

Antes de ir a campo, os participantes selecionados irão participar do programa de capacitação promovido pelo Sebrae em parceria com o Banco do Brasil e Fundação Banco do Brasil, com duração de 80 horas, dividido em três módulos, sendo um de formação geral de Agentes de Desenvolvimento, outro de formação específica para a atividade de caprinovinocultura e o último com conteúdo de gestão.

O coordenador da ação no Sebrae Juazeiro, Carlos Robério Araújo, explica que a essência do projeto é a orientação técnica e o gerenciamento para impulsionar ainda mais o desenvolvimento local. “Os profissionais contratados vão acompanhar a rotina do produtor rural, conhecer suas necessidades e, além das orientações técnicas, irão trabalhar e dar uma dinâmica à construção de um importante elo entre os negócios que envolvem as atividades da caprinocultura e ovinocultura e que podem ajudar a melhorar as condições de vida no campo”, esclarece.

Ao todo o edital trará 34 vagas de nível médio para atuação na área rural, 6 de nível médio para área urbana, 1 agente de comunicação e 2 supervisores técnicos. “A expectativa é positiva, pois sabemos do dinamismo da região e da importância do Projeto Bioma Caatinga, atendendo a produtores e empresas dos elos de insumo, produção, beneficiamento e comercialização da região, que tem significativa relevância no rebanho e produção pecuária de ovinos e caprinos”, ressalta a colaboradora da Coordenação de Agronegócios (CAGR) do Sebrae Bahia, Adriana Moura.

Projeto Bioma Caatinga

A estratégia tem atuação nos Estados com parte do território na Caatinga, e nasceu de uma articulação entre o Sebrae, Banco do Brasil e a Fundação Banco do Brasil, através do Programa de Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS).

Colaboram ainda com o projeto na Bahia e integram o Comitê Gestor o Governo do Estado da Bahia, por intermédio da Casa Civil, Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária do Estado da Bahia (SEAGRI), Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB); Governo Federal, com Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Semiárido), Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Banco do Nordeste, Caixa Econômica Federal, Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) e Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf); Sistema FAEB/SENAR e Sindicatos Rurais, Prefeituras Municipais, Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura no Estado da Bahia (Fetag) e Sindicatos dos Trabalhadores Rurais, Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado da Bahia (OCEB/SESCOOP) e Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA). Além do envolvimento das Prefeituras Municipais e agências do Banco do Brasil de Uauá, Curaçá, Juazeiro, Casa Nova e Remanso, municípios beneficiados com o programa na Bahia.

O Ciclo I aconteceu no período de 2012 a 2014, atendendo 1,2 mil famílias de produtores rurais da agricultura familiar e 150 micro e pequenas empresas.


Postagens Relacionadas
‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››