Campina Grande é uma bonequinha de milho.

Esses dias tivemos um compromisso na cidade de Campina Grande que é a cidade mais importante da Paraíba, depois da capital é claro. E como somos loucos por viagens, pensamos: Ué, se vamos fazer uma pequena viagem porque não prestar bem atenção nas pequenas coisas e contar tudinho aos nossos leitores.
Então, vamos lá?


Nós que moramos em Caruaru, cidade arqui-inimiga, falando de festas juninas, sempre fomos um pouco barristas em relação a essa cidade paraibana. Hoje vejo que isso tudo é uma grande bobagem, a mesma bobagem que alguns socialistas, dadas suas devidas proporções, têm com os EUA. Então lá vai a primeira dica política do Blogueiro: Todos, mais todos mesmo, os preconceitos que você tenha na vida deveriam ser revistos. Por exemplos: Sou pernambucano e não gosto da Bahia. Por quê? Ou, sou sulista e não gosto do Nordeste, por quê?  Acredito que quando os pernambucanos visitam salvador em pleno carnaval elas gostam bastante. E quando os sulistas visitam as praias nordestinas, com aquelas temperaturas termais também gostam bastante. Então, libertem-se.  Vá viajar, veja, sinta e tire suas próprias conclusões e aí se não gostar vai saber dizer o porquê.
Voltando ao tema, tivemos pouco tempo nesta cidade que comparo a uma bonequinha de milho, porque é bem bonitinha, está com as ruas limpas e tem vias largas e bem estruturadas se comparada com a minha cidade natal, Caruaru.
 Chegando lá, fomos logo conhecer o cartão postal que é o açude velho. Trata-se de uma lagoa que fica no meio da cidade e dá a ela um ar agradável no fim da tarde e uma bela iluminação no começo da noite.









 


                                                                                                         Lá vai a segunda dica do Blogueiro: Chegando no açude velho, vá conhecer o museu de arte popular da Paraíba.
Silvana Pinheiro. Parceira Principal.



 
 A entrada é franca e além da recepção ele tem três ambientes climatizados com monitores que irão receber o turista de forma muito amável e eficiente.
E como nós que viajamos somos cara de pau mesmo, pedi a monitora da parte de cordel que fizesse esse pequeno vídeo para nossos leitores terem o gostinho do ambiente.



Falando de comida e hospedagem, infelizmente não tivemos oportunidade de visitar o Bar do Cuscuz  que é famozão na cidade, só vimos por fora, visualmente parece muito bom e depois já no hotel, tivemos um feedback de um amigo que por acaso também estava hospedado lá e acabou de voltar da argentina, que disse que o restaurante é excelente. Quanto ao hotel recomendo sem medo o Serrano, ele fica no centro da cidade e tem uma estrutura de hotel executivo e com o Plus do café da manhã que não ficou devendo em nada para as grandes redes. O custo benefício é perfeito.


 









E é isso gente, pequena viagem, só dá pequenas dicas mesmo. Vá viajar e seja feliz.

Ps.: Se eu fosse morador de Campina faria uma campanha na câmara dos Vereadores para mudar o nome do açude velho para LAGOA CORDELISTA LEANDRO GOMES DE BARROS. Blogueiros são abusados mesmo.

Postagens Relacionadas
‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››