ESPORTES - O disfarce das organizadas através da Paz

Proibidas desde 20 de fevereiro de 2013 de frequentar os estádios em Pernambuco, as maiores torcidas organizadas da capital arrumaram um jeito de driblar a decisão do Juizado Especial do Torcedor. A Inferno Coral (Santa Cruz) e a Torcida Jovem (Sport) tiraram os escudos da facções e estamparam a palavra “PAZ” no peito, validando o retorno. O que torna o veto em algo superficial é a manutenção da escolta policial nos clássicos, tanto no Arruda quanto na Ilha.
Caso alguém ainda duvide sobre a relação das camisas com as uniformizadas, os modelos estão à venda nas páginas: Inferno Coral e Torcida Jovem.
As próprias páginas das uniformizadas no facebook admitem que a camisa é a única autorizada pelos “órgãos públicos”. As duas versões custam R$ 20.
No Clássico das Multidões na Ilha do Retiro, pelo hexagonal estadual de 2015, foi maciça a presença dos membros das duas organizadas, e não parece ter sido coincidência a baderna antes e depois do empate. Pior. O time do Santa usou a camisa no gramado. Se o objetivo era divulgar a palavra “Paz”, acabou revivendo uma ligação perigosa – que causou estrago em 2014.
É a propagação da violência sob o nome da paz. Culpados? Os infiltrados.
Em tempo: são 56 mil membros na TOIC e 132 mil a TJS…

Diário de Pernambuco

Postagens Relacionadas
‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››